10 julho, 2018

Os destaques da Semana de Alta Costura em Paris

Durante toda a semana passada (01/07 a 06/07) rolou a Haute Couture Week em Paris. Essa é uma semana bastante importante para o mundo da moda, pois marcas tradicionais (como Chanel, Givenchy, Dior…) apresentam suas novas coleções de Alta Costura com detalhes que o mundo todo aguarda ansiosamente para ver conhecer.

A alta costura teve origem justamente na França e é um trabalho totalmente artesanal que conta com criação de modelos sob medida, por isso é que envolve muita originalidade, esforço e obra prima de qualidade no desenvolvimento. Poucas grifes continuam no mundo da haute couture, mas é claro que as que alcançaram esse patamar desenvolve esse trabalho com maestria e responsabilidade.

Nessa edição, os desfiles trouxeram criações para o outono e inverno 2018/2019, e foi com muita emoção que fiquei acompanhando mesmo que de longe. Selecionei as principais marcas e todos os detalhes sobres produções, tendências e novidades em suas apresentações.

Givenchy

O desfile de Givenchy era um dos mais esperados dessa temporada, afinal, Claire Waight Keller, a estilista da marca, foi a responsável pelo vestido de noiva mais comentado do momento: o da duquesa Meghan Markle. Além desse cenário, sem dúvidas essa coleção seria muito marcante e emocionante, pois Claire resolveu homenagear Hubert de Givenchy, estilista e aristocrata francês responsável por fundar a maison Givenchy em 1952 que, infelizmente, faleceu em março desse ano.

E foi pensando nos detalhes fundamentais do trabalho de Hubert que as peças da grife vieram exatamente daquele jeitinho Givenchy de ser (que a gente ama!): clássicas, minimalistas e geométrica!

Muitas produções lembravam o estilo da luxuosa Audrey Hepburn, parceira de Hubert Givenchy. Sem dúvidas foi uma das apresentações mais grandiosas dessa edição, mesmo que “simples” nos design. Destaque para a alfaiataria, capas, brilhos, plumas e cintura marcada.

Chanel

Dessa vez o Grand Palais foi inspirado na Académie Française mas o que surpreendeu mesmo foram as apostas do estilistas Karl Lagerfeld. Essa coleção da Chanel veio com uma vibração mais moderna e até mais sexy. O shape das peças da grife foram apresentados mais colados no corpo e com detalhes como fendas laterais, transparência e muito brilho. Se depender da marca, o próximo outono inverno será bem glam!

Claro que teve o clássico tweed da marca, mas ele ganhou reeleituras em cores e brilhos! Também teve saias midi e longas, porém surgiram modelos mais curtos. Destaque para as mangas que que se abriam, as ombreiras e os bordados dignos de nosso mais puro “uau”! Ah, e sem dúvidas a cor de grande aposto para Lagerfeld foi o cinza.

Dior

A estilista Maria Grazia Chiuri, da Dior, resolveu ir na contra-mão das apostas de outras grifes (brilho e glamour) e para essa edição ela pensou na alta costura em essência. Focou no minimalismo e acertou exatamente nas técnicas mais tradicionais das criações artesanais. A começar pela escolha da paleta de cores, quase todo o desfile (até o cenário) foi bastante neutro, abusando do preto, nude, azul marinho, rose e no máximo de seu “colorido” foi o verde.

Nos vestidos de festas, os brilhos e aplicações foram substituidos por rendas, tramas e bordados muito bem trabalhados. Sem dúvidas a elegância se fez muito presente nessa coleção mas confesso que senti falta da ousadia e irreverência da Dior.

Giambattista Valli

Falando em ousadia, essa sim é uma marca que soube ser ousada na alta costura! De certa forma, era esperado uma coleção mais jovem e irreverente, afinal, a grife tem apostado cada vez mais no público millenial!

E para representar essa fase divertida da grife, as produções eram repletas de: cores vibrantes (teve muito neon), peças bufantes (haja volume!), babados, penas e plumas, estampas (teve muito floral), vestido mullet, paetês, mangas estruturadas e o maior destaque de todos: maxi laços de cetim! Já posso imaginar alguns desses vestidos dando pinta no red carpet…

Armani Privé

Aqui está um belo equilíbrio entre o minimalismo elegante e o ousado divertido. Confesso que desejei cada produção do desfile de Armani Privé, do inicio ao fim! De fato o desfile começou mais “discreto” com produções repletas do tradicional terninho da grife e o clássico mix de preto com off white. Mas logo de início já ficou claro a forte presença do veludo e cetim.

Aos poucos a passarela foi ganhando cor! A grande aposta da grife para a próxima estação está no rosa e verde (verde tifanny está de volta, amores!) e junto com as cores vieram as referências mais jovens e criativas…plumas, paetê, tramas, cristais e transparências. Um sonho!

Valentino

Valentino me surpreendeu. A passarela da grife foi cheia de cor e exageros. Praticamente todos os looks eram oversized e as peças ganharam tanto opções largas no tamanho quanto no shape bufante. Destaque sem duvidas para a maxi bermuda, já vejo ela sendo substituta das calças pantacourt.

A inspiração para a coleção foram referências da mitologia grega e os vestidos de gala também vieram exuberantes e nada discretos. Até a beleza das passarelas tomou conta dos comentários sobre a semana de moda, afinal, o oversized também foi perceptível no penteado das modelos, além, é claro, das sombras coloridas sem ser over!

Elie Saab

O estilista Elie Saab se inspirou para essa sua coleção de alta costura durante uma viagem à Barcelona, por isso os desenhos, aplicações e bordados foram associados ao trabalho de Gaudí. Particularmente, adorei a presença marcante de looks de gala com calça e macacão, achei que deu uma renovada e modernizada nas produções da grife que é muito conhecida pelos seus vestidos, bordados e estilo mais romântico.

Sempre com peças muito femininas, essa coleção foi bem marcada pelo ombro a ombro, transparência, fendas e as maxi flores super elegantes!

Fendi

Enlouquecida pelo desfile e por essa coleção da Fendi! Chiffon e organza foram os protagonistas dos looks e um dos detalhes mais comentado foi a presença de pelos. Em época que muitas grifes estão abrindo mão dos pelo animais por uma causa maior, a Fendi sempre teve seu apelo tanto para uso de matéria prima animal quanto para estampas animais, mas dessa vez a surpresa veio com os casacos e outras peças fake furr…sim, de pele fake!

Esse foi mais um desfile que iniciou sóbrio com cores neutras e looks mais clássicos e depois ganhou cores e muita alegria! A marca sabe misturar bem o moderno com o chic e os conjuntos de saia midi com casacos ganharam meu coração.

 

E então amores, qual foi o desfile que você mais gostaram nessa temporada? Acho tão difícil opinar…

Beijos da Alê.

 

 

G.Plus - Facebook -

• Você também pode gostar destas matérias •

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

• Comentário no blog deste assunto é aqui •

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *